Entrar


Entrar

Radioterapia

O que é radioterapia?

Em um sentido mais amplo, a Radioterapia é o uso terapêutico da radiação para o tratamento de alguma enfermidade.  Existem 3 modalidades clínicas utilizadas:

1) Injeção de radioisótopos na corrente sanguínea (como em alguns casos de câncer de tireoide);

2) Braquiterapia, em que fontes radioativas na forma de aplicadores especiais - agulhas, sementes ou fios - são colocadas em contato direto com o local onde se deseja empregar a radiação. Exemplos comuns são os implantes utilizados no tratamento dos tumores ginecológicos e da próstata, entre outros;

3) Teleterapia, ou radioterapia com feixe externo, que é a modalidade mais difundida. A fonte irradiante se posiciona externamente ao paciente, a certa distância dele, podendo-se utilizar de diversas máquinas, como o gerador convencional de raios-X, a unidade de Co-60 e, mais comumente, os aceleradores lineares.

Quando e para quem é indicada? 

Atualmente é utilizada tanto em doenças benignas quanto malignas, de forma exclusiva ou associada à cirurgia e à quimioterapia. Nos últimos anos, a radioterapia tornou-se imprescindível a quase 2/3 dos pacientes portadores de câncer maligno em algum momento do curso da doença. Essa ação pode resultar na eliminação do tumor, uma melhora na qualidade de vida e aumento das taxas de sobrevida do paciente.

Quais são os cuidados necessários durante o tratamento? 

Os cuidados são voltados para a diminuição dos sintomas do paciente, como por exemplo, medicamentos para náusea, vômitos, diarreia, dor, etc. De uma forma geral, deve-se evitar a exposição solar do local irradiado durante e logo após o tratamento. Além disso, cuidados especiais com a pele podem ser tomados, como o uso de produtos à base de Aloe Vera ou Camomila, lembrando sempre que deve-se fazer a retirada do excesso destas substâncias antes de cada sessão de radioterapia. Manter o local limpo durante o tratamento é outra dica interessante.

Quais são os efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais da radioterapia se relacionam aos órgãos que estão sendo tratados, uma vez que os efeitos da radiação são locais, ou seja, diferente da quimioterapia, que possui efeitos sistêmicos (corpo todo). De modo geral, a pele irradiada pode ficar avermelhada e coçar ou arder, podendo evoluir para bolhas e descamação. Dependendo da região tratada, podem surgir: dor, náusea, vômito, diarreia, falta de apetite, cansaço, ardência urinária, etc.

Como amenizar os efeitos colaterais?

Dicas gerais são: manter uma alimentação equilibrada durante o tratamento, bem como vigorosa hidratação; hábitos de vida saudáveis são sempre bem-vindos, como uma atividade física leve (a depender das condições clínicas do paciente). Além disso, existem medicações e produtos específicos que podem ser orientados pelo seu médico durante e após o tratamento, ressaltando a importância de se evitar a automedicação.


Confira as recomendações indicadas para realização da radioterapia em cada área do corpo:

Cérebro

Cabeça e Pescoço

Mama

Tórax

Pelve (Bacia)

Pele

Partes Moles ou Ossos