Entrar


Entrar

Instagram

Galeria de Vídeos

Oncogenética

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A prática da oncogenética consiste em um amplo trabalho preventivo para poder identificar e analisar as mutações gênicas diretamente associadas à incidência de câncer. Aliando os maiores avanços na área genética com áreas multidisciplinares ambulatoriais, a oncogenética do Hospital de Câncer de Barretos realiza tanto o rastreamento através da identificação de possíveis tumores hereditários, como a busca por algumas evidências que indiquem a predisposição para a formação de um tumor no paciente.

Em busca da qualidade através de um trabalho amplo, integrado e coerente, a atuação da oncogenética tem seu funcionamento atrelado a diversas áreas como o Instituto de Ensino e Pesquisa, a Prevenção, o Centro de Pesquisa Oncologia Molecular e a Biologia Molecular.

O público-alvo dos testes realizados em oncogenética são indivíduos com incidência familiar de câncer ou pacientes com algum tipo de ocorrência tumoral no passado. A incidência de tumores em pacientes de idade jovem, faz com que o mesmo tenha uma pré-disposição para a ocorrência de outros tipos de câncer.

Para a realização de um diagnóstico preciso do paciente auxiliado pela oncogenética, são realizados levantamentos seu histórico de saúde e de sua família – do lado materno e do paterno. A eficácia dos exames depende de uma profunda investigação na árvore genealógica, pois a incidência de câncer esta vinculada exclusivamente ao grau de parentesco do paciente em questão com algum familiar acometido pela doença. Entre as informações essenciais para se prosseguir com os exames genéticos, estão:

  • Incidência do câncer benigno e maligno na família
  • Número de familiares que apresentam o problema
  • Onde o tumor se desenvolveu em cada um
  • Em qual idade o tumor se desenvolveu
  • Documentos que comprovem o caso de doença na família


Após obter todos esses dados, o teste molecular pode ser realizado através de uma coleta de sangue, em que são separadas as células que possuem o DNA e, através desta coleta, são analisados os genes com suspeita de alterações genéticas relacionadas a alguns tipos de câncer. Estas alterações serão estudadas em uma série de complexos exames para se chegar a um laudo conclusivo.

Com os resultados dos exames analisados pela equipe de oncogenética, o paciente necessita passar por uma nova consulta para que sejam discutidos quais serão as possíveis implicações e quais decisões serão tomadas frente ao resultado obtido. Dependendo dele, é necessário um novo rastreamento em alguns membros da família e/ou um acompanhamento regular de um médico oncologista.