Entrar


Entrar

Câncer de Esôfago

O que é o câncer de esôfago?

O esôfago é um órgão tubular que leva o alimento da boca ao estômago. O câncer de esôfago pode ter duas linhagens, adenocarcinoma ou carcinoma espino-celular (CEC). O primeiro geralmente fica no terço mais inferior do esôfago e o CEC nos terços médio e superior. Todos dois iniciam com acometimento local, proliferando para o interior do esôfago, invadindo órgãos ao redor, disseminando para gânglios linfáticos ao redor da lesão ou se disseminando para outros órgãos a distância (chamado de metástase).

Quais são os fatores de risco?

Os principais fatores de risco são o tabagismo (fumo) e o etilismo (ingesta de bebidas alcoólicas). A exposição prologada a estes agentes está fortemente relacionada ao tipo CEC e também a ingestão de produtos cáusticos (soda cáustica por exemplo). Para o tipo adenocarcinoma, a obesidade e o refluxo gastro-esofágico crônico com alteração do tecido do esôfago inferior são os principais fatores de risco.

Quais são os sinais e sintomas?

Os sintomas mais frequentes são disfagia (que significa dificuldade para deglutição) e odinofagia (dor ao deglutir). Em geral estes sintomas são progressivos começando com alimentos sólidos e podem chegar até a dificuldade e dor para deglutição de líquidos. Isto acarreta a significativa perda de peso por dificuldade em se alimentar, podendo levar até mesmo a desnutrição.

Como prevenir este tipo de câncer?

Estes são cânceres relacionados a hábitos de vida. Sendo assim, a melhor maneira de evitá-los é com hábitos de vida saudáveis evitando fumo e ingestão de bebidas alcoólicas. Além disso, a obesidade tem que ser evitada não só pelo risco de surgimento do câncer de esôfago, mas também pelos demais problemas de saúde que podem ser decorrentes da obesidade que dificultariam o tratamento (por exemplo, hipertensão arterial e diabetes).
Não há uma justificativa para realização de endoscopia em pacientes assintomáticos na população, entretanto a sua realização em pacientes com doença do refluxo gastro-esofágico pode ser importante para detecção de tumores iniciais ou mesmo lesões pré-malignas.

Como é tratamento?

Para o câncer de esôfago, tanto a cirurgia quanto a radioterapia e quimioterapia podem propiciar um tratamento com intenção curativa. A decisão por um ou por outro tratamento vai depender do tipo de tumor e do estado geral de saúde do paciente, se ele suporta uma cirurgia de grande porte (esofagectomia, que é a retirada do esôfago) ou não. Além disto, muitas vezes faz-se necessário a realização de radioterapia e quimioterapia antes da cirurgia para melhor controle local e permitindo a retirada cirúrgica da lesão.