070-556 HP0-A03 000-594 A2090-543 HP0-M19 MB6-205 9L0-314 LOT-923 000-622 000-955 251-502 312-92 1D0-460 MB4-873 C2140-822 HP0-M12 70-569 C2140-637 920-440 HP0-069 C2090-463 500-005 M2180-667 000-797 650-196 SABE501V 1D0-450 000-978 1Z0-858 1Z0-264 000-M11 C_TSCM62_65 000-716 CAT-120 920-254 310-013 50-895 M2050-653 250-253 HP0-A01 000-372 EX0-113 70-542-Csharp 000-188 XK0-001 HP0-S29 000-586 000-M33 3M0-331 C4060-089J EX0-106 74-924 1Y0-400 156-915 C4090-451 050-654 ST0-116 000-281 650-756 70-640 HP3-X06 050-682 50-683 1Z1-272 HP0-J47 A2010-654 70-340 70-649 1Z0-206 070-293 77-604 C2150-057 1Z0-535 HP0-J67 070-162 920-321 JN0-340 000-M62 650-368 70-551-Csharp LOT-957 P2070-091 70-217 HP0-J30 920-552 A00-202 000-M36 GB0-500 650-665 HP3-L07 642-354 000-N03 CX-310-084 Isolamento de Contato - Página 2
Entrar


Tratamento Pediátrico - Isolamento de Contato


Definição

O Isolamento de Contato (também conhecido como Precaução de Contato) ocorre  quando há necessidade de afastar parcialmente o indivíduo do convívio social com outras pessoas pois, de alguma maneira, a criança/adolescente pode transmitir alguma bactéria presente no organismo dele para outras pessoas - principalmente para outras crianças/adolescentes que fazem quimioterapia.

A transmissão do “bichinho” ocorre por contato direto (encostar diretamente no paciente sem as devidas precauções) ou indireto (entrar em contato com algum objeto do paciente).

Porque a criança/adolescente está em isolamento?

A necessidade do isolamento de contato deve-se a diversos fatores. Para a segurança da criança/adolescente e de outros pacientes, temos que verificar se houve uma internação anterior em outro hospital, antes de vir para nossa enfermaria ou UTI. Temos que verificar também se ele fez uso de antibiótico no outro Hospital, se possui alguma ferida com saída de secreção ou se o resultado de exame de sangue, urina ou swab (cotonete), detectar presença de alguma bactéria que pode ser perigosa para a saúde de outros pacientes que possuem a “defesa” baixa.

Existe algum perigo para minha família quando o paciente retornar para casa?

Quando a criança/adolescente estiver em casa, não há necessidade de manter as precauções que são realizadas no Hospital, pois o perigo está na transmissão da bactéria para os outros pacientes. Como em casa não há outras pessoas com “defesa baixa”, não é necessário manter o isolamento.

Cuidados no hospital

Quando a criança/adolescente estiver no hospital serão tomados alguns cuidados para protegê-lo e proteger também as outras crianças.
Não se esqueça que, independente de onde a criança/adolescente estiver, é importante lavar bem suas mãos e as mãos dele (a).