70-573-Csharp 70-461 0B0-101 70-528 C4070-SS1 C90-06A 000-569 642-342 1Z0-807 EE0-600 77-882 1Z0-630 1Z0-554 HP0-500 070-689 A2040-923 000-SS1 70-523-Csharp 1Y0-310 000-619 642-145 RDCR08301 3X0-104 1Z0-860 C2170-051 MB3-530 9A0-034 FCGIT 920-165 250-924 642-566 CA1-001 642-444 70-238 310-110 000-422 70-467 310-610BIG5 50-695 70-599 650-026 77-601 E20-825 QQ0-200 510-022 000-257 C2040-442 COG-200 000-M196 9A0-095 3X0-101 1Z0-055 650-177 HC-832-CHS 9A0-079 70-502-Csharp HP0-M47 ICDL-NET 1Z1-213 000-379 HP0-345 220-302 000-736 000-169 HP0-P13 HP0-S36 000-748 644-337 310-878 E20-405 090-055 70-685J 50-692 Isolamento de Contato - Página 2
Entrar


Tratamento Pediátrico - Isolamento de Contato


Definição

O Isolamento de Contato (também conhecido como Precaução de Contato) ocorre  quando há necessidade de afastar parcialmente o indivíduo do convívio social com outras pessoas pois, de alguma maneira, a criança/adolescente pode transmitir alguma bactéria presente no organismo dele para outras pessoas - principalmente para outras crianças/adolescentes que fazem quimioterapia.

A transmissão do “bichinho” ocorre por contato direto (encostar diretamente no paciente sem as devidas precauções) ou indireto (entrar em contato com algum objeto do paciente).

Porque a criança/adolescente está em isolamento?

A necessidade do isolamento de contato deve-se a diversos fatores. Para a segurança da criança/adolescente e de outros pacientes, temos que verificar se houve uma internação anterior em outro hospital, antes de vir para nossa enfermaria ou UTI. Temos que verificar também se ele fez uso de antibiótico no outro Hospital, se possui alguma ferida com saída de secreção ou se o resultado de exame de sangue, urina ou swab (cotonete), detectar presença de alguma bactéria que pode ser perigosa para a saúde de outros pacientes que possuem a “defesa” baixa.

Existe algum perigo para minha família quando o paciente retornar para casa?

Quando a criança/adolescente estiver em casa, não há necessidade de manter as precauções que são realizadas no Hospital, pois o perigo está na transmissão da bactéria para os outros pacientes. Como em casa não há outras pessoas com “defesa baixa”, não é necessário manter o isolamento.

Cuidados no hospital

Quando a criança/adolescente estiver no hospital serão tomados alguns cuidados para protegê-lo e proteger também as outras crianças.
Não se esqueça que, independente de onde a criança/adolescente estiver, é importante lavar bem suas mãos e as mãos dele (a).