1D0-610 NS0-153 NS0-154 050-V37-ENVCSE01 50-653 350-001 NS0-330 1Z1-853 A2010-656 FN0-202 E20-670 000-094 A2040-922 006-002 E22-192 920-181 3X0-203 070-467 MB3-207 650-179 000-M12 000-784 ISEBSWTINT_001 HH0-440 000-446 1Z0-231 83-640 M2040-723 ml0-320 A2180-175 9A0-125 000-959 000-717 000-011 650-180 000-636 HP2-B82 156-110 P6040-015 1Z1-060 000-129 1Z1-884 000-330 HH0-050 50-707 JN0-730 00M-246 LOT-710 HP2-E45 HC-623-CHS 1Y0-A09 SC0-411 HP3-C32 HP5-H01D 3M0-600 00M-664 000-118 E22-201 HP0-390 HP2-H19 JN0-321 LOT-920 MB7-842 200-047 50-703 Radioterapia - Hospital de Câncer de Barretos
Entrar


Radioterapia

1. O que é a radioterapia?


É um tratamento no qual se utiliza radiação ionizante (processo de produção química com espécies eletricamente carregadas,

através da perda ou ganho de elétrons, atuando sobre moléculas neutras ou átomos) para destruir, eliminar ou impedir que as células de um tumor aumentem seu tamanho. A radiação não é vista pelo paciente, não causa dor e pode ser associada com a quimioterapia ou cirurgia.

2. Como é realizada a radioterapia?

De acordo com a localização do tumor, a radioterapia é feita de duas formas:

Externa: onde as radiações são emitidas através de aparelhos que ficam afastados do paciente. É chamada Radioterapia Externa ou Teleterapia.
Interna: onde o material radioativo é aplicado por meio de aparelhos que ficam em contato com o organismo do paciente, chamada Radioterapia de Contato ou Braquiterapia.

3. Em que etapa do tratamento ela pode ser realizada?

A Radioterapia pode ocorrer em diversas etapas do tratamento contra o câncer: antes, durante ou após a cirurgia e/ou a quimioterapia

4. Existem funções/ intenções diferentes para Radioterapia?

Devido ao quadro específico e ao tipo de tumor de cada paciente, existem diversas formas de utilização da Radioterapia. Entre elas, podem ser destacadas:

Radical/Curativa: É conhecida por esses dois nomes e tem a finalidade de controlar o tumor com doses radicais – tentar curar o paciente.

Remissiva: Usada para reduzir o tamanho das células cancerígenas.

Profilática: Utilizada de maneira preventiva, quando não há nenhum tipo de volume tumoral presente, mas detecta-se a existência de possíveis células neoplásicas dispersas.

Paliativa: Quando se busca a diminuição dos sintomas, tais como dor intensa, sangramento, compressão dos órgãos e da parte neurológica e óssea.

Ablativa: Quando se administra a radiação para suprimir a função de um órgão, como, por exemplo, o ovário, para se obter a castração.

5. Radioterapia: passo a passo

Consulta médica para avaliação: é o primeiro passo para iniciar o tratamento. O médico radioterapeuta irá avaliá-lo verificando o estágio da doença e se existe ou não necessidade de realizar a Radioterapia. A partir daí, poderá solicitar exames complementares para definir melhor as áreas comprometidas e que deverão ser irradiadas e orientar quanto ao tratamento (se ele estiver indicado).

Simulação e planejamento: nessa etapa, com o auxílio de um equipamento chamado Simulador, a equipe médica (formada também por físicos e técnicos de radioterapia) irá estudar o melhor posicionamento (do seu corpo e do local que a radioterapia vai agir) para receber o tratamento. Com a ajuda de radiografias localizam-se os locais desejados marcados na pele com uma tinta vermelha e/ ou uma forma de picadas de agulha com tinta preta (uma espécie de “tatuagem” definitiva, que ficarão como pintas na pele) e, em alguns casos, pode-se utilizar moldes para mantê-lo na mesma posição. É fundamental e imprescindível que você não perca esses desenhos para que seja reproduzido diariamente com segurança o campo de tratamento.

Tomografia: Em alguns casos, será necessária a realização de um exame de tomografia (exame computadorizado para que sejam feitas imagens “fatiadas” dos objetos analisados - seja um órgão ou uma parte do corpo). Com as imagens obtidas, o médico irá delimitar o campo de tratamento e os órgãos sadios que deverão ser protegidos da radiação. Ao sair do simulador ou da tomografia, um físico utilizará a sua ficha para calcular a dose correta para o seu tratamento.

Início do tratamento: após a ficha ser liberada pelo físico, você será conduzido a um aparelho onde um técnico em radioterapia o atenderá e prontamente o posicionará para as aplicações radioterápicas. Você deve permanecer imóvel durante as aplicações. Neste período você permanecerá sozinho na sala, sendo observado por câmeras de vídeo do lado externo.

6. Cinco informações importantes para a radioterapia:

1 - A radiação permanece no seu corpo apenas durante o tempo em que você fica no aparelho. Não precisa se afastar de crianças ou gestantes durante o seu tratamento. Você poderá abraçar, beijar ou manter relações sexuais, sem risco de expor outras pessoas à radiação.

2 - Não há necessidade de mudanças nos hábitos ou nos contatos pessoais, pois os pacientes em radioterapia não se tornam radioativos.

3 -  É muito importante que o paciente esteja bem alimentado para ter melhores condições de reagir aos efeitos colaterais.

4 -  Durante o período de radioterapia deve-se evitar a gravidez, pois a radiação utilizada pode causar riscos na formação do bebê.

5 -  Procure manter uma alimentação saudável e ingerir bastante líquido.

7. Quanto tempo dura o tratamento?

Em geral, o tratamento dura apenas alguns minutos, não causa dor nem sensação de calor. Para uma melhor qualidade de tratamento, todas as etapas de radioterapia requerem certo tempo. O tratamento é realizado de segunda a sexta, podendo ser interrompido apenas de sábado, domingo e feriado ou por recomendação médica.

8. Qual a importância e eficácia da radioterapia?

Mais da metade dos pacientes com câncer é tratado com radioterapia. É cada vez maior o número de pessoas tornam-se curadas com esse tratamento. Além disso, a radioterapia contribui também para a melhoria da qualidade de vida (diminui o tumor, reduz sangramentos, dor e outros sintomas).

Guia de Orientações para Pacientes

As aplicações de radioterapia são estudadas e programadas de acordo com o cada caso por uma Equipe Multidisciplinar composta por médicos, físicos e técnicos de radioterapia.

Este guia contém informações importantes sobre o tratamento em cada parte específica do corpo, quais os cuidados devem ser tomados e quais serão seus possíveis efeitos colaterais. No entanto, o guia não pode e não tem a função de prever especificamente, qual tipo de reação irá ocorrer a cada tipo de radioterapia e a cada tipo de câncer, uma vez que cada paciente tem uma condição diferenciada.

É muito importante que o paciente sempre procure a enfermeira e/ou o médico responsável pelo tratamento para controlar os sintomas mais intensos, verificar as medidas adequadas, e assim, diminuir o risco de complicações.

Confira as recomendações indicadas para realização da radioterapia em cada área do corpo:

Cérebro

Cabeça e Pescoço

Mama

Tórax

Pelve (Bacia)

Pele

Partes Moles ou Ossos