Entrar


Você esta aqui: Institucional  Unidades

Galeria de Vídeos


Cadastre seu e-mail para
receber as principais noticias.
E-mail*
Após o cadastro, confirme em seu e-mail

Exame oncogenético é oferecido exclusivamente a pacientes do hospital

A dupla mastectomia realizada pela atriz americana Angelina Jolie chamou a atenção da imprensa mundial e despertou a curiosidade da sociedade a respeito da oncogenética. A mãe da atriz faleceu em 2007 devido a um câncer de mama causado pela alteração de um gene chamado BRCA1. As características hereditárias da doença de sua mãe, colocaram Jolie dentro de um grupo de risco, no qual ela teria 87% de chances de desenvolver um câncer de mama e 50% de ter um câncer no ovário.  Ao procurar o serviço de oncogenética, ela optou por realizar a cirurgia.

O Hospital de Câncer de Barretos é a única instituição do país que realiza, com próprio custeio, este exame de forma gratuita para o paciente - mesmo que a tabela do SUS não faça a cobertura deste exame. No entanto, o exame somente é eficaz para pessoas com parentesco direto ao paciente que tiver um tipo de câncer hereditário, sendo assim, convidado pela equipe de Oncogenética a fazer exames preventivos para avaliar o grau de predisposição a partir do DNA coletado.

“Lemos a sequência do material genético do paciente que já teve câncer e comparamos com outra sequência sem alteração. Depois, usamos essas informações para fazer a prevenção, testando outras pessoas da família que não tiveram a doença para analisar se elas têm ou não o risco aumentado", explica a oncogeneticista Edenir Palmeiro.

Caso seja necessário, o familiar suscetível à doença passa por uma cirurgia preventiva antes mesmo de a doença aparecer. Dos 1,6 mil pacientes que já fizeram o exame, 150 foram encaminhados para as cirurgias de prevenção. "Identificando essas famílias podemos fazer a detecção e oferecer um tratamento mais eficaz”, comenta Dr. Danilo Vilela Viana.

A estudante Larissa Ferraz Barbosa, de 15 anos, foi diagnosticada como uma paciente suscetível. Sua mãe, que teve câncer no intestino, teve o DNA comparado de suas três filhas - Larissa e a irmã mais velha herdaram o câncer e foram encaminhadas para a cirurgia preventiva. "Não tenho nem palavras para falar sobre o tratamento. Graças a Deus isso existe. Minha irmã já fez a cirurgia e está passando muito bem. Isso me anima muito", diz.

Conheça o GOGH

Desde 2012, a o Departamento de Oncogenética possui um Grupo de Orientações Genéticas e Doenças Hereditárias (GOGH), que presta apoio a estas famílias. Os encontros são mensais e reúnem pacientes e familiares portadores ou suscetíveis a desenvolverem doenças de origem genética. Durantes as reuniões são passadas orientações sobre a doença e bate-papo entre os pacientes, ambas atividades conduzidas por uma equipe composta por enfermeira, psicóloga, médicos e educador físico.

Oncogenética

A prática da Oncogenética possibilita mapear casos hereditários ou pontuais de câncer, por meio da avaliação e acompanhamento clínico dos pacientes, de forma a se ter um diagnóstico precoce e, portanto, maiores chances de sucesso no tratamento, assegurando a qualidade de vida do paciente.

No Hospital de Câncer de Barretos, a Oncogenética tem seu funcionamento atrelado a diversas áreas como o Instituto de Ensino e Pesquisa, a Prevenção, o Centro de Pesquisa Oncologia Molecular e a Biologia Molecular.