Entrar


Efeitos Colaterais - Perda de CabeloEfeitos Colaterais - Perda de Cabelo

Também conhecida como alopecia, a queda de cabelo é uma das reações que podem ocorrer com alguns tipos de quimioterapias. Esse efeito somente ocorre porque a quimioterapia afeta as células que realizam o crescimento do cabelo.

Algumas pessoas consideram essa a pior parte da quimioterapia, pois a perda de cabelo, principalmente para a mulher, acaba afetando sua própria identidade. O cabelo começa a cair depois da terceira ou quarta sessão do tratamento, ele pode se soltar aos poucos ou em grandes pedaços, podendo causar dor no escalpo.

Embora a queda assuste, não há motivo para se preocupar: em dois ou três meses depois que a quimioterapia acabar, seu cabelo haverá crescido. Esse novo cabelo poderá ter a mesma aparência da anterior ou alterar-se um pouco – quando comparado ao seu cabelo antes da queda.

Formas de lidar com a queda de seu cabelo

Consulte seu medico

Para se programar, pergunte ao seu médico se o seu tratamento poderá gerar queda de cabelo.

Cortes de cabelo

Cortar o cabelo curto ou raspá-lo é uma forma de ajudar a lidar melhor com a queda, uma vez que é possível perceber melhor a queda sem um grande impacto. Se for raspar a cabeça, prefira sempre um barbeador elétrico no lugar de uma gilete.

Perucas

Se você acredita que se sentirá melhor com uma peruca, é melhor experimentá-la enquanto você ainda possui cabelo. Esse procedimento é indicado para que você continue a possuir o mesmo tipo de coloração de cabelo, formato e comprimento. Sempre experimente uma peruca antes de comprá-la e tenha certeza que ela, com o tempo, não irá machucar o seu couro cabeludo ou tirar o seu conforto.

Veja se o seu seguro também cobre o valor de sua peruca. Caso contrário entre em contato com alguma entidade de ajuda ao câncer ou peça orientação ao seu médico, pois ambos podem oferecer uma opção para que você tenha acesso a perucas.

Cuidados na hora de lavar o cabelo

Seja cuidadoso ao lavar o seu cabelo.
Usar um xampu suave, como qualquer um usado para bebês.
Seque seu cabelo utilizando uma toalha suave, efetivando pequenos toques contra o cabelo e não um secador de cabelos.
Procure não realizar penteadas muito fortes quando estiver escovando o cabelo.

Como o seu couro cabeludo pode ficar sensível, não utilize os seguintes itens abaixo:

Sprays de cabelo
Produtos para soltar ou relaxar o seu cabelo
Secadores de cabeço
Tintas do cabelo
“Bobbies” e produtos que enrolem o cabelo
Presilhas de cabelo e clips

Após a perda de cabelo:

Proteja sempre seu couro cabeludo, pois ele pode se machucar facilmente durante e depois da queda. Evitar muito contato com o sol, lugares com muito calor ou muito frio, é essencial para este momento. Sempre aplique filtro solar e use chapeis para proteger o seu couro cabeludo.

Procure um travesseiro de cetim ao invés de um travesseiro de algodão, pois este material pode irritar o seu couro cabeludo. O cetim cria menos fricção com o corpo, portanto, ele é mais confortável.

Tente manter a sua cabeça sempre quente com um chapéu, um gorro, um lenço ou outras peças de roupa.

Converse:

É muito importante falar sobre seus sentimentos nesse momento delicado, pois muitas pessoas que passam pela quimioterapia podem se sentir com raiva, depressão e com vergonha em relação à perda de cabelo. Procurar um grupo de ajuda um amigo próximo ou alguém que passou pela mesma experiência, é extremamente benéfico para ajudar a lidar com a situação.


Saiba mais:

Voltar para Quimioterapia e os Efeitos Colaterais

Anemia 

Constipação

Diarréia 

Dor 

Fadiga 

Infecção

Infertilidade 

Mudanças de Apetite/ Hábitos alimentares

Mudanças na Boca e Garganta

Mudança na pele e nas unhas

Mudanças no Sistema Nervoso Central 

Mudanças no Sistemas Urinário

Mudanças Sexuais

Perda de Cabelo

Sangramento

Náusea e Vômito

Efeitos Colaterais - Sexualidade

As mudanças sexuais causadas pela quimioterapia são diferentes entre homens e mulheres. Nas mulheres, a quimioterapia altera os ovários e causa mudanças no nível hormonal. Essas alterações podem causar a menopausa precoce e a falta de lubrificação vaginal.

Nos homens, a quimioterapia também afeta os níveis hormonais, fazendo decair a taxa hormonal de sangue para o pênis ou danificando os nervos de seu controle, causando assim, a impotência.

Todas essas condições dependem dos problemas que você teve anteriormente, do tipo de quimioterapia que você irá receber ou se você já teve outra doença. Alguns problemas, como a perda do apetite sexual, estão propensos a ocorrer quando a quimioterapia estiver acabada. Entre os sintomas, podem ser citados:

Para mulheres:

Falta de lubrificação vaginal
Sintomas da menopausa (quando a mulher ainda não está na menopausa)
Sentimentos de stress, preocupação e depressão que impendem as relações sexuais.
Ondas de calor
Irritação
Interrupção do período menstrual ou ausência de menstruação
Coceira vaginal
Estar cansada de sexo ou não ter interesse em sexo

Para homens:

Não conseguir alcançar o clímax
Impotência (incapacidade de ter ou de manter uma ereção)
Se sentir muito cansado para ter sexo ou não ter interesse em ter sexo
Se sentir muito cansado, preocupado e deprimido para ter sexo.

Formas de administrar as mudanças sexuais:

Mulheres:

Sexo

Sempre pergunte a sua equipe médica se você pode realizar sexo durante a quimioterapia. A maioria das mulheres pode, mas é necessário que você tenha um aval médico.

Controle de nascimento

É importante não engravidar durante a quimioterapia, pois nos primeiros três meses da quimioterapia, o tratamento pode machucar o feto. Se você ainda não tiver passado pela menopausa, converse com seu médico sobre o controle da gravidez.

Medicações

Converse com sua equipe médica para saber como ela pode te ajudar com medicamentos para ajudar com os problemas sexuais. Entre esses medicamentos, podem ser inclusos inclui produtos para aliviar a falta de lubrificação vaginal, creme vaginal e supositórios que possam reduzir a chance de infecção.

Use calcinhas de algodão
Não use calcinhas ou shorts apertados
Use um lubrificante vaginal quando você tiver relações sexuais
Se o sexo ainda for doloroso por causa da falta de lubrificação, pergunte ao médico ou enfermeira quais são os remédios que podem restabelecer a umidade em sua vagina.

Para as ondas de calor:

Use sempre um acessório que você possa retirar caso você fique com calor
Pratique todo tipo de exercício: andar, nadar, andar de bicicleta e outras atividades.

Reduza o estresse com caminhadas, medicações e meios que você julgar eficiente para o relaxamento.

Para Homens

Fale com seu médico e enfermeiro sobre:

Controle de Natalidade

A maioria dos tratamentos não interfere na realização das atividades sexuais, mas é muito importante que sua esposa não fique grávida durante a quimioterapia, pois o tratamento pode afetar o seu sêmen, podendo causar complicações de nascimento no bebe que será gestação.

Dicas para ambos os sexos:

Clareza, honestidade e ajuda.

Fale com seu parceiro sobre seus sentimentos, medos e vontades. Se essa situação se agravar ou você tiver problemas de comunicação, é interessante conversar com a equipe médica e/ou com psicólogos especializados no assunto para poder ajudar o casal.

Procure novas formas de demonstrar amor

Você e seu parceiro podem tentar encontrar novas maneiras de demonstrar o amor e o desejo pelo outro, durante a quimioterapia. Mudar a rotina sexual e o dia-a-dia pode ajudar a fazer a ganhar uma intimidade maior entre vocês. Se as relações sexuais estão reduzidas, é interessantes estimular um número maior de abraços, beijos, massagens e tomar banhos juntos. Quanto maior o número de atividades juntos, a intimidade aumenta e o sentimento de proximidade também.

Saiba mais:

Voltar para Quimioterapia e os Efeitos Colaterais

Anemia 

Constipação

Diarréia 

Dor 

Fadiga 

Infecção

Infertilidade 

Mudanças de Apetite/ Hábitos alimentares

Mudanças na Boca e Garganta

Mudança na pele e nas unhas

Mudanças no Sistema Nervoso Central 

Mudanças no Sistemas Urinário

Mudanças Sexuais

Perda de Cabelo

Sangramento

Náusea e Vômito